Medida aumenta velocidade de financiamento imobiliário

Economia Brasileira: a obrigação de disponibilizar na rede todas as informações para agentes financeiros e cidadãos obterem o registro do financiamento de um imóvel acaba de ser cumprida em sua primeira localidade: Belo Horizonte.

Determinada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a obrigação deverá ser aplicada em todo o país até o dia 30 de junho, e deve aumentar consideravelmente a rapidez com que são concedidos os créditos imobiliários.

A expedição e avaliação de todos os documentos físicos em cartórios podem demorar mais de 20 dias, entre idas e vindas, até a liberação do financiamento. Com a aplicação da chamada Central Eletrônica de Registro de Financiamento de Imóveis, a espera pode cair para menos de 7 dias até o registro do mesmo financiamento.

“A vantagem para o cliente é não ter que ir ao cartório para levar e buscar o contrato para registrar. O maior ganho para as instituições financeiras é que o registro sai em no máximo cinco dias. Tudo é feito de forma digital, com assinatura eletrônica, o que elimina o risco de fraudes”, disse o diretor executivo de Habitação da Caixa, Teotonio Costa Rezende.

Além do prazo menor, o mutuário terá ainda uma redução nos custos, afirma o presidente da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo (ARISP), Flauzilino Araújo dos Santos. Segundo ele, o novo trâmite evitará que o mutuário tenha despesas de transporte, estacionamento, despachantes e os contratempos do trânsito dos grandes centros.

A novidade se soma a medidas de estímulo anunciadas pela Caixa Econômica Federal, com aumento da cota de financiamento de imóveis usados. Com elas, será possível financiar até 70% do valor dos imóveis no Sistema Financeiro de Habitação, além da possibilidade de financiamento do segundo imóvel. Com condições mais fáceis e maior rapidez no processo de financiamento, espera-se um aquecimento no setor.

Fonte: Melhor Taxa