Vendas no varejo têm estabilidade em julho após 3 meses de alta

As vendas no varejo do Brasil interromperam três meses de altas e apresentaram estabilidade em julho na comparação com o mês anterior, num resultado abaixo da expectativa devido à queda na comercialização de combustíveis como resultado da demanda fraca.

Sobre o mesmo mês de 2016, as vendas tiveram alta de 3,1 por cento, o melhor resultado nessa base de comparação desde maio de 2014 (4,6 por cento), segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ambos os resultados ficaram abaixo das expectativas em pesquisa da Reuters, de alta de 0,1 por cento na comparação mensal e de avanço de 3,5 por cento sobre um ano antes.

A queda nas vendas de combustíveis compensou a alta de 0,7 por cento em Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, atividade que vem mostrando melhora diante do aumento da massa salarial.

O varejo ampliado, que inclui veículos e material de construção, avançou 0,2 por cento em relação a junho, com destaque para a alta de 0,9 por cento nas vendas de materiais de construção.

O Banco Central vem reduzindo a taxa básica desde outubro e na semana passada cortou a Selic para 8,25 por cento. Juros mais baixos barateiam o crédito, o que vem ajudando a estimular o consumo.

A economia vem dados sinais de recuperação como o crescimento de 0,2 por cento do Produto Interno Bruto no segundo trimestre sobre o primeiro, acima do esperado.

Fonte: Exame

Rent a Box | Self Storage